quarta-feira, 15 de julho de 2015

O Preço da Liberdade

Olá pessoal. 

hoje vamos reflectir um pouco em torno da nossa liberdade dentro da sociedade e para tal quero deixar com vocês a minha Colega Maria que fez uma linda e espontânea reflexão em torno deste conceito que é sobrevalorizado por muitos.

Boa Leitura!!

O preço da Liberdade é incomparável, inexplicável, menos apreciável quando temos e mais apreciável quando a perdemos. 


Senti-mo-nos livres, donos dos nossos actos, comportamentos estes que , nos conduzem a caminhos, por vezes totalmente contrários aos feitos almejados e no final de tudo nos sentimos aprisionados. Somos livres para opinar, amar e fazer as escolhas de tudo quanto nos agrada. Ter liberdade é desfrutar de tudo quanto possuímos, sem ter que justificar o meio pelo qual alcançamos; ela é incomparável porque quando somos livres, nos sentimos bem, em paz e poucos são os pensamentos amargos em que passamos pelo deserto da vida.


O deserto da vida é caracterizado pelas alas do egoísmo, avareza, o ódio, a prostituição, o álcool, as drogas e todos outros males que possam assolar a jornada e o modo de vida de qualquer pessoa.

Quando estamos presos neste vasto deserto, nos tornamos em pessoas secas, amarguradas, incapazes de amar, perdoar, de dar e receber, e esta travessia poderá ser longa ou curta, pois até os maiores desertos não descartam a possibilidade de existência de oásis (zonas de conforto), tudo depende de como iremos conduzir a caravana da nossa vida.


Para um cenário mais restrito, o portão aberto de uma cadeia, servirá de miragem para os prisioneiros que nela se encontram, privados da sua liberdade, por razões premeditadas ou alheias a sua vontade, incapazes de dar o primeiro passo rumo a sua liberdade, apenas contando os dias a espera do seu momento de soltura. Esta contagem e este tempo de espera acaba por mergulha-los outra vez em um deserto superior ao que já se encontravam.

É por este motivo que o preço da liberdade é inexplicável a quando do seu alcance. somente quem passa num deserto consegue valorizar tal liberdade quando a tem. Não sejamos prisioneiros e nem tão pouco habitantes permanentes deste vasto e árido deserto da vida.

Seja livre e desfrute desta regalia nos limites da lei em vigor na sociedade em que estejas inserido. Saiba entender e respeitar o teu próximo pois a tua liberdade termina onde começa a do outro.

A nossa conduta civil dentro da sociedade define a nossa liberdade. Ser correcto é essencial e optar por rotinas dentro dos parâmetros legais (jurídicos e Religiosos) é um bom começo para se manter em liberdade e distante dos problemas e prisões.
Por Último: Conheceis a Verdade, e a Verdade vos libertará (João 8:32)

Por: Maria das Dores Abílio Quilombo



Edição: Emerson JC Lourenço AKA Daltton
Enviar um comentário

Pesquisar neste blogue