segunda-feira, 20 de julho de 2015

Desigualdades no Quotidiano II


Bom dia pessoal, 

Hoje é segunda-feira, e para começar uma boa semana, nada melhor do que uma injecção de reflexão que em alguma parte transmite motivação para grandes conquistas.
Desta feita, o meu Irmão Delson Cortez, na minha companhia irá explanar um pouco sobre as desigualdades no quotidiano, dando sequência a um dos primeiros posts desta página.

Boa leitura pessoal!



Todos nós somos iguais, independentemente de sermos magros fortes altos ou baixos, ricos ou pobres negros ou brancos. Pelo simples facto de termos uma mesma essência, e por termos o mesmo molde como é mencionado na bíblia sagrada. Perante a constituição e a lei em vigor no nosso país, todos os cidadãos gozam dos mesmos direitos, deveres, responsabilidades e as mesmas restrições.

É muito fácil dizer que eu não julgo os outros pela condição física ou aparência, ou mesmo condição financeira ou até pelo nível escolar, quando estamos no meio de muitos que partilham o mesmo pensamento. Mas tais citações não passarão de palavras se não se fizerem acompanhar de demonstrações práticas.

Melhor que as palavras proferidas são os actos, eles na verdade mostram quem somos na realidade. Eles revelam os mais profundos segredos, que pareciam que nunca se revelariam.
Vejo mulheres lutando pela igualdade de género todos os santos dias, não crítico por isso, apoio e digo que é o melhor, pessoas em tudo o mundo lutando para reduzir a pobreza ou a criminalidade, aumentar a qualidade de vida e o acesso fácil aos bens e serviços de primeira necessidade (na maioria dos casos, tal luta resume-se a palavras embelezadas, pois na verdade, quase ninguém age em função do que almeja). Porque na verdade existe algo maior do que o seu querer e a sua luta, algo interno e psicológico para cada indivíduo, tal comportamento pode ser denominado por D.H.O (DESIGUALDADE HUMANA OPCIONAL).


Nós consentimos a desigualdade a nosso respeito ou a respeito dos outros por factores sem valor, fruto de alguns padrões e paradigmas adoptados, na nossa sociedade em geral e em particular nas famílias ao longo do tempo. Para ser mais claro, enquanto o teu primo ou tio que usufrui de bens matérias for mais importante que o primo ou tio que não usufrui, enquanto tratares especialmente alguém de pele mais clara e tratares o de pele mais escura de qualquer forma, enquanto pai tiveres filhos predilectos ou favoritos, enquanto achares que o João é melhor que o António por ter um emprego bom, casa e um bom carro. Farás parte do grupo dos que consentem a D.H.O (DESIGUALDADE HUMANA OPCIONAL). Por incrível que pareça e não deixamos as vezes isto transparecer aos olhos dos outros, todos nós nos conhecemos profundamente e sabemos o nosso lugar e a nossa posição, e não te esqueças nunca;


Se viveres distante do materialismo e andares dia após dia em função de uma causa justa, verás as pessoas ao mesmo nível e estarás em condições de superar grandes barreiras psicológicas. O complexo de inferioridade e a não iniciativa diante dos superiores reflecte-se muito a D.H.O, tudo pelo facto de consentirmos de forma calada que o branco é melhor do que o negro e o superior deve sempre dar os passos maiores ou as ideias mais brilhantes.



 Se saíres da caixinha verás que o mundo é muito mais diferente do que pensas e as pessoas não diferem nada uma das outras pelo facto de todas na normalidade poderem ver, ouvir, pensar, agir, falar, sentir, viver e no fim de tudo morrer.
A alma do Imperador é iguais a do sapateiro, pelo simples facto de serem feitas com o mesmo molde e pelo mesmo ser DEUS.


Por  Delson Cortez (By: 👑dc27_special one)


Edição e arranjos : Emerson JC Lourenço AKA Daltton (Mr. Sustentabilidade)


Enviar um comentário

Pesquisar neste blogue