quarta-feira, 11 de maio de 2016

O DESPERTAR IV (CARTA PARA OS JOVENS)

Olá pessoal,

Estou de volta para mais um dia de reflexão.
Justifico a ausência com o facto de estar a escrever uma história de ficção que tem passado na nossa página no facebook (https://m.facebook.com/Bloco-de-Notas-410014669186317/) e o empenho tem sido dirigido para esta pequena série. Mas desta feita, venho deixar algumas palavras em jeito de sermão, dando continuidade ao livro de reflexão comportamental que o lançamento está para breve.

O DESPERTAR IV.
CARTA PARA OS JOVENS



Não acredito que a média toda venha se resumir a partilha de futilidades para um vasto auditório de espectadores daqui e dali..

Não acredito que durante as tuas 6 ou 8 fora da escola e do trabalho e que não estejas a dormir, resumes a vida a uma simples passagem pela insignificância, desde o que pensas, o que falas, o que fazes, o que buscas, até aquilo que passas aqui nas redes sociais..

Não acredito que tu como homem e jovem só estejas interessado em adquirir o último par de sapatilhas, a camisa mais extravagante, o convite da festa mais badalada ou o livre transito para afundar o pénis na próxima mais próxima..


Não acredito... Que depois de 3 anos de estudo a nível universitário, não conseguiste ainda interiorizar algo que se prese por conhecimento, nem sequer sabes aquilo que irás fazer a quando da conclusão do curso..

É sério... Eu não acredito nisso... Preferes ficar em casa sentado(a) a coçar as feitorias, com tanta coisa lá fora para se fazer... Tantas pessoas passando mal e que possas ajudar directa ou indirectamente, tantas coisas comunitárias que possas participar ou estimular dentro do teu domínio, tanta matéria para aprender e ensinar..

Preferes pausar no "Não te irrites" por horas em demasia, só para fazer valer o nome de "jogo dos cunangas", tudo para fugir de algo para fazer... Preferes fazer biznos obscuros e ilícitos, para vestir voluntariamente o Mbila** do imediatismo e dar mérito aos "Kotas" quando fazem referência aos jovens como sendo aqueles que querem tudo na hora...

Epah.. Tens que me acordar porque talvez esteja a sonhar..

Mas não acredito mesmo.. Que tu moça, não consegues pedir dinheiro e abrir um pequeno negócio ou investir em algo que te dê lucros e alivia o bolso do papoite, mas de tão fraca que és, consegues partir quantias acima de 100.000Kzs, simplesmente para matar na superfície com cabelos estrangeiros, roupas e telemóveis que mal sabes o valor..

Se for verdade prefiro fingir que não...


Finjo que não vejo os meus amigos se afogando no hábito e na rotina.. Finjo não ver as loucuras que a TV passa muita das vezes e que interiorizamos como ensinamento escolar... Finjo não ver as festas mais valorizadas que as bibliotecas ou os textos fúteis do whatsapp e facebook e vídeos do Snap ou do Insta, ganharem mais likes, partilhas e seguidores do que um livro, uma mensagem construtiva ou uma imagem apelativa.. Finjo tudo e finjo nada..

Depois de tudo continuo a não acreditar que faço parte disto...

Mas ainda há esperança. E nisso eu prefiro acreditar para o meu consolo..
Acredito que nós jovens iremos.nos libertar da prisão social-tecnológica ou socio-digital que nos vêm levando dia após dia para distante daquilo que realmente é esperado do nós...

Fora da Ciencia
Fora da Religião
Fora de Ideologias
Fora de Dogmas
Fora de Tabus
Fora de Questões politicas
Fora de questões Culturais

Dentro da Minha e nossa Realidade.

Por: Emerson JC Lourenço AKA Daltton

#NaZonaDeConforto
Enviar um comentário

Pesquisar neste blogue